Quarentena muda rotina das famílias e da escola

Escola Franciscana Imaculada Conceição
Quarentena muda rotina das famílias e da escola
Mesmo em casa, atividades são feitas por estudantes de diferentes níveis de ensino. Théo é um deles

A pandemia trouxe novas experiências para a escola e para as famílias. Isolados, pais e estudantes passaram a vivenciar a rotina escolar em casa, por meio do material que a EIC disponibiliza, diariamente, para todos os níveis de ensino. Com isso, a progressão pedagógica continua, já que todo o conteúdo disponibilizado será revisado e retomado pelos professores, em sala, quando tudo voltar à normalidade. Trata-se de manter a rotina escolar para que o retorno seja mais tranquilo, porque esse não é um período de férias, mas de responsabilidade com a vida.

A jornalista Lílian Rech, mãe de Théo Rech Campos, do 40 ano do Ensino Fundamental, não está em isolamento em virtude da profissão e o marido trabalha em regime home office. Por isso, as atividades são realizadas à tarde, depois que ela chega do trabalho. “Elas não estão sendo feitas diariamente, já que estou alternando com diversão em família para quebrar um pouco o peso do isolamento. Às vezes a gente não dá conta da demanda, mas nesse momento estou priorizando não sobrecarregar nossas tardes”, testemunha a mãe.

Para a psicóloga escolar Maristela Valese, a rotina é fundamental para as crianças, uma vez que as ajuda a estruturar a concepção de mundo e auxilia no processo de desenvolvimento. Kátia Soares tem duas filhas na EIC: Flávia, do 40 ano A e Lívia, do Pré I.  Para ela “a rotina é importante para as crianças não perderem o ritmo da escola, porque não sabemos até quando esta situação vai perdurar; porém, é bem desafiador para os pais, principalmente quando são duas crianças”, diz ela.  Como em casa as filhas se dispersam, Kátia faz pequenas pausas, lanche, dá um desenho para elas pintarem, para manter o nível de envolvimento delas com os estudos.

O engajamento dos professores do Maternal no modelo on-line foi bem-vindo para a rotina das famílias desses alunos. Nayara Moretti Beltrame Tomita da Silva, mãe de Wendy Beltrame Santana Tomita, do Maternal 1B, fase 2, diz que a filha ficou muito feliz em ver o vídeo que a professora Natália mandou para seus alunos e ela, agradecida porque “as atividades on-line ajudam bastante os pais sobre o que ofertar para os filhos”, já que antes os pais estavam tentando manter a filha entretida com historinhas de livros e pintura de giz de cera e tinta. “Por mais que a gente tente ocupar o tempo, as atividades acabam sendo repetidas”, declara a mãe.

Já os alunos do Ensino Médio estão vivenciando seu protagonismo. Mais maduros, lidam com as tarefas de forma mais independente. Segundo o coordenador Roberto Fujino, como na plataforma tem a opção de chat com os professores, eles são os que mais utilizam essa ferramenta, aberta a todos os usuários. “Eles entram, fazem perguntas e os professores respondem por chat, ou se não estiver on-line naquele momento, respondem posteriormente”, diz. Roberto diz que sua rotina em casa está tão agitada quanto na escola:  “atendo os professores, ajudo na utilização das plataformas e também atendo alunos, que estão sempre tirando dúvidas”.

Dicas - Para ajudar nesse período atípico, a psicóloga Maristela enumera algumas dicas para que a adaptação das crianças e dos pais seja mais simples: “mantenha a rotina que já existia; envolva as crianças nas decisões, isso ajuda a desenvolver a autonomia delas; tenha uma organização diária, conversando sobre o que acontecerá no outro dia, isso é importante para contornar a ansiedade; faça intervalos entre as atividades; organize um dia diferente para distrair a família com um piquenique no quintal ou cinema na sala e relembre a criança sobre a escola”.

Agora, o importante é manter o foco para que a quarentena seja período de cuidado com a família, a saúde e a vida.   

Notícias