Projeto estuda impactos da agropecuária no MS

ESCOLA FRANCISCANA IMACULADA CONCEIÃÃO
Projeto estuda impactos da agropecuária no MS
Estudantes agora farão experimentos com diferentes tipos de solos e manejos

Os alunos da 1ª série do Ensino Médio, dentro do Itinerário Formativo de Ciências da Natureza e orientados pelos professores de física, química, biologia e matemática, entraram numa nova fase do trabalho sobre a “Agropecuária no Mato Grosso do Sul, seus impactos socioeconômicos e ambientais “. Nesse início de setembro eles foram para a horta, onde colocarão em prática os conhecimentos adquiridos por meio de pesquisas, discussões e estudos desse cenário.

No trabalho de pesquisa, além das temáticas especificas que receberam, a investigação teórica foi desenvolvida nas normas da ABNT e, por isso, algumas aulas foram utilizadas paras orientações do trabalho escrito, com base em arquivo contendo as regras da ABNT, disponibilizado pelos professores a eles. Nessa fase teórica também se fez necessária a produção de projeto mostrando como cada grupo iria desenvolver a parte prática (compostagem, organização da horta, construção da estufa e organização para o plantio e o cuidado da germinação). Os projetos foram corrigidos pelos professores da área e devolvidos aos alunos com as devidas orientações e aprovações. 

Na nova fase, foi realizada a orientação, com a presença de todos os professores, para direcionar a parte prática do trabalho. Os alunos orientados pela professora Maria Bruna Souza realizaram a compostagem; os que serão orientados pelo professor Henrique Mantovani da Silva  ficaram responsáveis pela construção das caixarias e da organização do espaço da horta; aqueles que escolheram as sementes e fizeram o plantio em solos diferentes (areia- terra, terra com esterco, terra com substrato, terra com substrato e compostagem) serão orientados pela professora Ana Caroline Abreu e os estudantes orientados pela professora Jéssica Fermino construíram a estufa.

Segundo a equipe de professores, o objetivo do trabalho foi familiarizar os alunos com a pesquisa e introduzir a parte prática, fazendo com que eles fossem protagonistas nesse processo de aprendizagem, e também incentivar o trabalho em equipe, pois cada grupo dependia do trabalho desenvolvido pelo outro.  “Foi muito satisfatória a execução do trabalho, pode-se observar a importância de ensinar as regras de um trabalho de pesquisa, além de presenciar o envolvimento dos alunos com a atividade prática. Todos estavam envolvidos e ajudaram uns aos outros para que os processos pudessem ser concluídos com êxito. Agora estamos percebendo o envolvimento dos alunos no cuidado com o plantio e a ansiedade em ver o resultado do trabalho conjunto”, destaca a professora Jéssica, em nome dos colegas.

Notícias