Projetar a própria vida, uma tarefa que exige dedicação

Escola Franciscana Imaculada Conceição
Projetar a própria vida, uma tarefa que exige dedicação
Cartas para o futuro serão abertas em 2022

Com a iminência do novo Ensino Médio, em 2022, os alunos das turmas de 9º ano do Ensino Fundamental da EIC foram instigados a pensar no seu projeto e vida, um dos elementos de sustentação da proposta que entra em vigor a partir do próximo ano. Nas aulas de ensino religioso (ER), Janice Rodrigues de Menezes, e a professora Celina Oliveira, coordenadora do ER, desenvolveram o “Projeto de Vida Cápsula do Tempo”, com dinâmicas que levaram os estudantes a reflexões sobre si, sobre o tempo e sobre a vida que projetam.

Os estudantes foram motivados a refletir sobre seu Projeto de Vida: “Quem sou? Qual valor dado a minha família? O que faço com meu tempo? Aonde quero chegar?”, foram questionamentos propostos para a tarefa. Nesse contexto, eles foram desafiados a escreverem cartas destinadas aos pais, amigos, professores e a si mesmo. Como ato concreto, as cartas foram guardadas em uma Cápsula do Tempo que será aberta no ano de 2022 para que as pessoas envolvidas recebam, no futuro, mensagem desses alunos de hoje.

Na dinâmica de conclusão do projeto,  os alunos foram convidados a confiar e, conduzidos por uma corda e de olhos vendados, caminharam pela escola em direção à Capela. Lá, como culminância, foi realizado um momento celebrativo dentro da temática o Tempo e Eu. “Foi um momento de muita emoção e grande alegria. Dessa forma a semente da esperança foi lançada no coração de cada um que demonstrou através do olhar e palavras que a vida tem sentido quando valorizamos cada momento”, diz a coordenadora do ER.

Projeto de vida – Segundo a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), “projetar a vida perpassa por questionamentos sobre as diferentes violências físicas e simbólicas que se configuram diante das desigualdades sociais, étnicas e de gênero. Idealizar a própria vida é ter consciência da responsabilidade de cada um em sua atuação social, descobrindo-se a si mesmo, aos outros e o meio em que vive. É o momento em que são percebidas as tantas formas e jeitos de ser. É também quando alguns dos preconceitos construídos socialmente atingem e afetam as crianças, o que pode ser revertido a partir do compromisso da escola em importar-se com o outro”. Nessa perspectiva, os estudantes terão, no próximo ano, a percepção se avançaram em seus projetos tanto no plano pessoal, quanto no social.

Notícias