Nutricionista orienta sobre amamentação em tempos de pandemia

Escola Franciscana Imaculada Conceição
Nutricionista orienta sobre amamentação em tempos de pandemia
Foto:https://gauchazh.clicrbs.com.br/donna

Muitas são as dúvidas nesses tempos de pandemia que estão sendo vividos. Para esclarecer as mamães que estão em fase de amamentação, principalmente de nossos alunos de Berçário e Maternal, buscamos a orientação de nossa nutricionista, Ana Paula Flora (CRN-3:12868).

A profissional toma por base a nota do Departamento Científico de Aleitamento Materno (DCAM) da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) sobre amamentação em mãe com suspeita ou infectadas pelo COVID- 19.

O documento salienta que até o momento não há documentação de transmissão durante a gestação e nem no período neonatal, pela amamentação, mas esclarece que, por outro lado, “o consenso chinês é contrário à evidência disponível, ao afirmar que existiria a possibilidade de transmissão do COVID-19 e por isso, a amamentação deveria ser contraindicada, mesmo em casos apenas suspeitos, mas não apontaram nenhum caso”.

Outras duas revisões, uma norte-americano e outra de Londres, porém, concluíram que, caso a mãe queira manter o Aleitamento Materno, a mesma deverá ser esclarecida e estar de acordo com as medidas preventivas necessárias: lavar as mãos antes de tocar no bebê na hora da mamada e usar máscara facial durante a amamentação.

Portanto, caso a decisão seja pela manutenção do aleitamento materno mesmo com suspeita ou infecção pelo Covid-19, a mãe deve praticar cuidadosamente a lavagem das mãos e o uso de uma máscara durante a amamentação, para minimizar a exposição viral adicional ao bebê.

O documento ainda aconselha: “No caso da mãe não se sentir à vontade para amamentar diretamente a criança, ela poderá extrair o seu leite manualmente ou usar bombas de extração láctea (com higiene adequada) e um cuidador saudável poderá oferecer o leite ao bebê por copinho, xícara ou colher (desde que esse cuidador conheça a técnica correta de uso desses utensílios)”.

“Os órgãos finalizam a nota dizendo que, em sintonia com o pronunciamento da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), a SBP, até o momento, é favorável à manutenção da amamentação em mães portadoras do COVID-19, se for o desejo das mesmas”, encerra a nutricionista.

Notícias