Alunos EIC participam de olimpíada socioemocional

Escola Franciscana Imaculada Conceição
Alunos EIC participam de olimpíada socioemocional
Professor Adriano, com sua equipe em ação

Estudantes do 7º e 9º ano do Ensino Fundamental da EIC representaram a escola nas Olímpiadas DesafiEI, evento promovido pela Escola da Inteligência (EI). Trata-se de um desafio de caráter cultural, que mobilizou escolas privadas e parceiras no Programa de Educação Socioemocional, com o objetivo levar os participantes a ampliarem seus conhecimentos, desenvolvendo habilidades socioemocionais como: a criatividade, a noção de liderança positiva, o trabalho em equipe, a tomada de decisão, resolução de problemas, espírito empreendedor e protagonismo, colocando em prática as ferramentas da gestão da emoção aprendidas nas aulas da EI, além de promover o intercâmbio sociocultural entre estudantes e professores dos anos finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio das diversas regiões do país, por meio de uma maratona totalmente on-line.

 

O professor Adriano Rodrigues, que orientou a equipe “True Friends”, do 7º ano C, considera que a participação do grupo foi surpreendente. “A galerinha se dedicou muito. No primeiro dia ficamos das 8h às 23h participando numa atividade que envolveu a todos, alunos e família. Foi uma experiência maravilhosa”, diz ele, afirmando que nunca viu crianças tão persistentes. “Café da manhã, almoço, lanche, janta, passamos o dia todo jogando, juntos, em equipe num momento inesquecível”, finaliza.

A equipe do 9º ano, orientada pela professora Janice Rodrigues de Menezes teve uma dificuldade extra porque concorreu com turmas do Ensino Médio de todo o país, já que a disputa foi totalmente on-line. “O desafio não foi fácil, o nível das questões era bem difícil, mas eles não desistiram e conseguiram se manter no nível. Foi uma experiência muito positiva para mim e acredito que para eles também”, considera ela.

“Foi uma experiência prazerosa, pois a adrenalina bateu forte e a angústia também. Não ganhamos, mas valeu a oportunidade de participar desse desafio. O melhor momento da competição era a hora de ver se a resposta estava certa”, conta Murilo Dutra da Silva, do 7° ano C, provando que a educação socioemocional amadurece tanto para a vitória, quanto para a perda.

 

 

 

Notícias